A angústia da dúvida: O que fazer?

11:32

Nada de psicologia barata, de bar ou de auto-ajuda (nada contra, cada uma tem seu papel) a intenção é oferecer alternativas que nos leve a ação ao encontrarmos dilemas "causadores" de sofrimentos ou preocupações.


Da mesma forma que não se pode dizer a alguém a melhor forma de se viver a vida, não se pode dizer a uma pessoa como parar de sofrer.

Entretanto, pode-se oferecer alternativas para se ter uma visão mais elevada, uma outra perspectiva de seus problemas/aflições/preocupações.

O escritor e filósofo Gustavo Gitti (autor do site não2não1) escreveu um texto que oferece esclarecimento sobre os problemas que as pessoas encontram em relacionamentos amorosos, explicando que geralmente as pessoas focam seus pensamentos nas circunstâncias, personagens, objetos e fatos de seus problemas "únicos", e que deveriam focar na raiz do problema. 

Carência, impaciência, incompreensão, antipatia, egoísmo, narcisismo. Todas características que se instalam em nosso ser, e que uma vez despertos provocam mudanças comportamentais indesejáveis, e que por sua vez provocam conflitos, internos ou externos. O problema principal é colocar a felicidade em bases instáveis como dinheiro, emprego, identidade, casa, apartamento, férias namorado(a)...

Ficar indeciso, evitar tomar uma ação por conta do medo de possíveis futuros improváveis, se permitir ficar em um estado de defecção, traz o constrangedor sentimento de inutilidade e tristeza ao nosso ser, potencializado por nossas mentes ao imaginarmos ser especiais/melhores que nossos semelhantes, ao mesmo tempo que imaginamos estar vivendo uma situação inédita na história da humanidade.

O ponto é, ao se deparar em um dilema, deve-se evitar que os sentimentos conflituosos prejudiquem sua decisão.

Fazer ou não fazer determinada coisa terão resultados que o farão repensar se tomou a decisão correta. Não importa, pois se fizer, poderá se arrepender e se não fizer ficará sempre imaginando o que teria acontecido se tivesse feito. Deve-se portanto escolher um caminho e segui-lo até o fim.

Por fim, apenas a irracionalidade de sua decisão moral é que permite que a vida valha a pena. Seja consciente disso, procure a raiz de sua aflição, encontre alternativas e escolha uma como solução.

Como ponto de partida, recomendo a PNL, que oferece a alternativa para o alívio e até a cura de traumas com diversas técnicas, sendo uma delas de visualização de situações através de uma perspectiva de observador, como em um filme. Essa técnica e postura é também útil na analise e descoberta da raiz de seus problemas, pois ajuda a desvencilhar suas emoções de suas opções.


0 comentários

Artigos Populares