Sobre a hipocrisia cômica Brasileira

09:01


Éden. O paraíso. Ao desobedecermos e comermos o fruto da árvore do conhecimento, tomamos a responsabilidade do livre-arbítrio. O problema, parafraseando Alan Moore, "é que as pessoas tornaram-se aterrorizadas com a possibilidade de possuírem uma alma, e terem a responsabilidade de cuidarem dela". Daí preferem desistir e viver vidas medíocres (medianas), afinal, "para ser feliz é preciso olhar para o outro lado".


"Moral é o conjunto de regras adquiridas através da cultura, da educação, da tradição e do cotidiano, e que orientam o comportamento humano dentro de uma sociedade. O termo tem origem no Latim “morales” cujo significado é “relativo aos costumes”.

"Ética é o nome dado ao ramo da filosofia dedicado aos assuntos morais. A palavra ética é derivada do grego, e significa aquilo que pertence ao caráter."

A ética busca fundamentar o modo de viver pelo pensamento humano, a busca do melhor estilo de vida.

"Se todos são a favor de mais educação, segurança, saúde e contra a corrupção, onde está o problema real?"

A sociedade como conhecemos possui uma moral doentia. Faz-se ou deixa-se de fazer algo tão somente na visão risco<>benefício. Se ninguém souber, tudo é lícito. Se for impune, melhor ainda.

"Vergonha é roubar e não poder carregar" - O que podemos dizer de um país que possui um ditado como esse?

O problema de protestarmos "contra a corrupção" apenas torna evidente a hipocrisia cômica aparente nas tirinhas e frases soltas no facebook.

Para a perfeita coexistência em sociedade é imprescindível a consciência moral mais desenvolvida em cada individuo. Mas como fomos mal educados durante o nosso período de aprendizado e somos afetados culturalmente (jeitinho brasileiro, paternalismo, nepotismo, etc... ), recorre-se à repressão e uso do poder para a coexistência atual (intervenção militar, alguém sussurra).

"Anarquismo é um sistema político que defende a anarquia, que busca o fim do Estado e da sua autoridade. O termo anarquismo tem origem na palavra grega anarkhia, que significa "ausência de governo".

A anarquia é contra a divisão em classes, e por consequência, contra toda a espécie de opressão de uns contra os outros.

"...
- Eliminar os líderes das organizações que controlam e decidem o destino das pessoas é a única forma de dar a liberdade de volta aos indivíduos.
- Mas ao fazer isso, tornará o mundo um caos.
- Exatamente. A ordem natural das coisas, é a desordem. New growth cannot exist without the destruction of the old.
..." (The Legend of Korra, diálogo entre Zaheer e Korra)

A alternativa radical e impraticável seria total eliminação dos indivíduos e reconstrução da civilização a partir do zero, com uma sociedade educada moralmente. Muitos personagens são tomados por vilões por possuírem essa visão anarquista radical.

Eles falham nesse objetivo principalmente por se considerarem superiores aos outros, incapazes de ver que eles próprios já estão contaminados.

Tentar forçar o anarquismo para as pessoas de moral contaminada já foi feito em diversas obras de ficção, como explorado em Batman: the Dark Knight  e em the Dark Knight Rises.

1. Dou os livros que compro e termino de ler, recomendando apenas que façam o mesmo;
2. Se não uso ou preciso, procuro quem precisa;
3. Evito ao máximo comprar coisas, me permitindo viver com um valor considerado ridículo por alguns.
4. Se estou livre, debato sobre temas que conheço procurando ajudar;
5. Tento ao máximo cultivar virtudes;
6. Não critico ou julgo as pessoas pelos seus hábitos (não em voz alta, sonho com o dia que nem em pensamento isso venha a me ocorrer).
E é por isso que me considero anarquista. 

Depois de tudo isso, vocês devem imaginar que quero levar essa ideologia para todos. Só que não, mesmo. Entendo que muito tempo já foi perdido debatendo qual o sistema de organização político mais adequado para a vida em sociedade. 

Todas elas em teoria, são utópicas. O que ferra o sistema somos nós mesmos. As disfunções dos sistemas são responsáveis pelo sofrimento coletivo e silencioso, que tomamos como imutáveis. Já parou para imaginar o que aconteceria se começarmos a construir um mundo verdadeiramente capitalista?

O que vivemos não é capitalismo, como mostrado no livro de Thomas Picket "O Capitalismo no século 21".

O socialismo que o mundo experimentou não era socialismo, era (é?) uma ditadura totalitarista travestida (tenho sérias dúvidas se incorro na falácia do "apelo à pureza" nesse parágrafo).

Já que vivemos em um sistema "capitalista" e em uma república norteada pelo princípio de que "todo poder emana do povo", podemos sim fazer a diferença, engajando-nos em projetos de lei de iniciativa popular,  pois se temos vontade o suficiente para andarmos 20km em uma passeata "contra a corrupção", podemos criar leis de interesse real, como no caso da Lei Ficha Limpa (Lei Complementar n°. 135 de 2010).

Essa galera do facebook que são contra tudo e todos, muito parecido com os niilistas, precisam só de uma direção;

Os petralhas e os coxinhas devem ser mais objetivos e procurarem soluções, enxergar através da névoa do antagonismo;

Os artistas devem continuar usando a sátira como recurso para criticar a sociedade, instigando-a à reflexão.

Se for para escolher uma tribo, por que não a de Cidadão?

0 comentários

Artigos Populares